Orixá LOGUN-EDÉ

Logun-Edé, chamado geralmente apenas de Logun, é o ponto de encontro entre os rios e as florestas, as barrancas, beiras de rios, e também o vapor fino sobre as lagoas, que se espalha nos dias quentes pelas florestas. Logun representa o encontro de natureza distintas sem que ambas percam suas características. Os Canticos (Orin) em Ketu estão no final do artigo.
Orixá Logun edé
É filho de Oxossi com Oxum, dos quais herdou as características. Assim, tornou-se o amado, doce e respeitado príncipe das matas e dos rios, e tudo que alimenta os homens, como as plantas, peixes e outros animais, sendo considerado então o dono da riqueza e da beleza masculina. Tem a astúcia dos caçadores e a paciência dos pescadores como principais virtudes.

Dizem os mitos que sendo Oxossi e Ogum extremamente vaidosos, não puderam viver juntos, pois competiam pelo prestígio e admiração das pessoas e terminaram separando-se. Ficou combinado entre eles que Logun-Edé viveria seis meses nas águas dos rios com Oxum e seis meses nas matas, com seu pai Oxossi.

Ambos ensinariam a Logun a natureza dos seus domínios. Ele seria poderoso e rico, além de belo. No entanto, o hábito da espreita aprendido com seu pai, fez com que, um dia, curioso a respeito da beleza do corpo de sua mãe, de que tanto se falava nos reinos das águas, Logun-Edé vestindo-se de mulher fosse espiá-la no banho.

Como Oxum estivesse vivendo seu romance com Xangô, tio de Logun, e Xangô tivesse exigido como condição do casamento que ela se livrasse de Logun, Oxum aproveitou a oportunidade para punir Logun com sua transformação num orixá meji (hermafrodita) e abandona-lo na beira do rio. Iansã o encontra, e fascinada pela beleza da criança leva Logun para casa onde, juntamente com Ogum, passa a cria-lo e educa-lo.

Com Ogum, Logun-Edé aprendeu a arte da guerra e da forja, e com Iansã, o amor a liberdade. Diz o mito que Logun tinha tudo, menos o amor das mulheres, pois mesmo Iansã, quando roubada de Ogum por Xangô, abandona Logun com seu tio, criando assim um profundo antagonismo entre Xangô e Logun, já que por duas vezes Xangô lhe tira a mãe.

Em outro episódio Logun vai brincar nas águas revoltas (a deusa Obá, também esposa de Xangô) e esta tenta mata-lo como vingança contra Oxum que lhe fizera uma enorme falsidade. Oxum, vendo em seu jogo de búzios o que estava sucedendo com seu filho abandonado, pede a Orunmilá que o salve e este, que sempre atendia às preces da filha de Oxalá, faz uma oferenda a Obá que permite então que os pescadores salvem Logun-Edé, encarregando-o de proteger, a partir daquele dia,os pescadores, as navegações pelos rios e todos os que vivessem à beira das águas doces.

Logun nunca se casou, devido ao seu caráter infantil e hermafrodita, e sua companhia predileta é Ewá, que também vive, como ele, solitária e no limite de dois mundos diferentes.

Mais sobre Logunedé

Dia da semana: quinta-feira
Cores: Azul e amarelo
Símbolo: Ofá (arco e flecha) e Abebê (espelho de mão)

Número: 3

Comida: milho e coco e
Saudação: Loci loci, Logun!


 
Características dos Filhos de Logum-Edé
            
 Logum-Edé é o orixá filho de Oxóssi e Oxum, essa filiação faz com que os nascidos com essa regência tenham características bem próximas a esses dois orixás, porém, num grau menor do que naqueles cujos pais são os mesmos.
              O filho de Logum é superficial e nunca tem absoluta certeza do que deseja mudando suas opiniões a cada estação. É belo, e tem consciência disso. Vaidoso, sensual, charmoso e elegante (marcas de Oxum), transita com a mesma naturalidade nos mais diversos ambientes, vai da favela à alta sociedade, fazendo amizades com uma facilidade incrível, pois sua alegria e eterno bom astral cativam a todos.
              Cauteloso, objetivo e sincero (marcas de Oxóssi), está sempre procurando ajudar alguém, seja com atos ou palavras, é sempre um ombro amigo. Tem imenso interesse em aprender e viver novas experiências, no entanto está sempre agindo por impulso o que o leva a embarcar em muitas “canoas furadas”. Eterno curioso não descansa enquanto não solucionar um problema ou descobrir um segredo, nisso pode se tornar um perigo já que capta com facilidade o intimo das pessoas.
              Tem beleza marcante, mente arguta e sensibilidade à flor da pele, o que, quase sempre, o leva a se tornar candidato ao sucesso, fortuna e fama por intermédio das artes em geral.    
O lado negativo dos filhos de Logum pode se tornar um transtorno. Estão sempre a um passo do limite em seus defeitos, são narcisistas, prepotentes, arrogantes e extremamente possessivos. Irritam-se e perdem o controle com facilidade e freqüência.
Entretanto, quando conseguem dominar esse temperamento irascível, tornam-se pessoas agradáveis e de fácil convívio.

Postado por
LUIZ CARLOS PEREIRA










Hoje, 08 de dezembro, é dia de Oxum. Deixamos aqui uma singela prece à orixá das águas doces, da prosperidade e do amor:

Oxum, dourada é tua luz, assim como é o outro que te pertence. Derrama a tua pureza cristalina, orixá das águas doces. Não permita que neblina alguma obscureça o meu desejo mais profundo, que é conseguir o amor mais verdadeiro, seguro, eterno e duradouro por toda a humanidade. Estás presente nas cachoeiras que são sagradas, portanto faz com que apague todo sentimento ruim que porventura brotar de mim. Não me deixei verter lágrimas por aqueles que desmerecem o amor, que não correspondem à verdadeira amizade e sentimento fraterno. Livrai-me, mãe, daqueles que se utilizam do teu nome e dos sagrados orixás para caluniar, difamar, intimidar e fazer mal uso do axé que carregam. Olhai por mim para que eu não seja mais um destes e caso um dia eu fraqueje, abre meus olhos com o brilho do teu ouro para que eu retorne ao caminho da retidão, ensinado por ti e pelos demais sagrados orixás.



VAMOS REFLETIR...


Não acenda apenas a vela do seu anjo de guarda;
Acenda a luz do seu coração, se ilumine e ilumine a quem precisa.

Não tome apenas um banho de ervas;
Tome um banho de alto astral, felicidade e energia positiva.

Não acenda apenas um incenso ou passe um defumador;
Disperse a névoa da inercia, da tristeza e das melancolias que te impedem de progredir.

Não faça apenas uma oração;
Converse com a espiritualidade, abra os canais da alma e se permita ouvir e reconhecer os conselhos de seus guias e mentores.

Não visite apenas o templo;
Faça do seu corpo o seu maior templo. E permita que esse templo seja a morada das boas intenções, dos bons conselhos , dos sentimentos nobres e do amor caritativo do Pai Maior.

Não seja apenas UMBANDISTA;
Seja instrumento da manifestação sublime da espiritualidade que espera de seu aparelho, um SER HUMANO no firme propósito de evoluir. Um SER HUMANO humilde, atento e convicto de sua opção religiosa e dos votos assumidos diante da grande corrente espiritual de OXALÁ.


mensagem_preto_velho1



Faz caridade fio, faz caridade fio!

Assim era as fala do negro Ambrósio através do aparelho mediúnico que lhe servia de canal para fazer proseador.

Não era a primeira que aquele consulente ouvia esse conselho do Pai Velho, já havia se passados oito meses desde o primeiro dia que aquele senhor tinha adentrado ao terreiro, passando a fazer parte da assistência, sempre voltando ao negro Ambrósio para tirar suas duvidas.

Naquele dia ele estava decidido. Iria perguntar ao Velho porque toda vez que falava com ele escutava o mesmo conselho? Será que como espírito não estava vendo que ele já estava fazendo sua parte?

Esperou ansioso a sua vez. Aquela noite seria especial, seria diferente das outras, aquele encontro marcaria uma nova etapa no caminhar daquele senhor.

Como sempre fazia, mais por repetição do que mesmo por convicção, se ajoelhou diante do negro Ambrósio e foi dizendo:

– Benção vô Ambrósio, hoje venho lhe pedir uma explicação para melhor entender o que o senhor me diz.

– Oxalá te abençoe meu fio! Negro Ambrósio fica feliz com sua presença e gosta de fazer proseador com todos os fios que aqui vem.

– Meu vô, como o senhor mesmo sabe já faz algum tempo que venho a essa casa e falo com o senhor. Como já lhe disse não tenho uma situação financeira ruim, ao contrário, nunca tive problemas dessa ordem o que sempre me facilitou uma vida com fartura e bem-estar desde a infância.

– Certo meu fio, negro Ambrósio já tem cunhecimento de tudo isso que suncê falou.

– É meu vô, por essa razão gostaria de lhe perguntar porque o senhor toda vez que fala comigo me aconselha a fazer a caridade? O senhor não já sabe que faço isso todo mês entregando gêneros alimentícios aos que estão carentes? Além do que, na minha empresa mantenho uma creche para os filhos dos meus empregados para que assim possam trabalhar com mais tranqüilidade. Por isso gostaria que me explicasse o porquê desse conselho, dentro da minha consciência cumpro com meu compromisso.

– É verdade meu fio, tudo isso que suncê falou pra negro veio, faz parte de seu compromisso e fio cumpre direitinho sua parte. Porém fio esse compromisso faz parte de seu social. Suncê alimenta o corpo material que precisa de sustentação pra ficar de pé, pois se não for assim fio tem prejuízo, só que o fio também precisa distribuir o pão espiritual e assim fazer a caridade.

– Não entendi meu vô seja mais claro? Que caridade espiritual é essa?

– É a mesma que esse meu aparelhinho faz aqui no terreiro. Suncê precisa assumir sua condição de médium.

Espantado, disse o senhor: como é que é vô Ambrósio o senhor está me dizendo que tenho compromisso com a mediunidade na Umbanda é isso?

– É isso sim, meu fio. Suncê tem compromisso com essa banda.

Ante as muitas verdades que ele já tinha ouvido, nunca uma afirmação estava tanto a lhe remoer a alma. Como seria possível? Achava bonito a Umbanda, gostava do cheiro das ervas e do cachimbo dos vôs, mais daí então a ser médium era demais para ele.

Mesmo de forma acanhada buscando aparentar tranqüilidade aquele senhor disse ao vô:

– Meu vô acho que há um equívoco, pois nunca senti nada a respeito da mediunidade.

– Num sentiu porque se prende e que não quer dizer ou suncê acha que nego veio não vê o companheiro de Aruanda que lhe acompanha e que hoje está dando autorização pra fazer esse conversado? Meu fio diz que gosta do cheiro das ervas e desse terreiro – o que é uma verdade – mas o que fio não se vê é dobrando o corpo para prestar a caridade, deixando assim que seu Pai Preto também lhe traga lições para seu caminhar. Então meu fio, enquanto suncê não entender, nego veio vai continuar repetindo o conselho: faz caridade fio, faz caridade fio! Mesmo que tenha que arrepetir isso por muitas veis, pois água mole em pedra dura fio, tanto bate inté que fura. Olha fio! Eu tenho um compromisso moral com esse companheiro de Aruanda que te acompanha e te agaranto que não será de minha parte que não será cumprido. Pensa no que esse veio te falou e dispôs vem prosear novamente, pois o passo de veio é miudinho e devagarzinho, só tem uma coisa fio: o tempo corre e espero que suncê queira aproveitar enquanto tá desse lado de cá!

Aquele senhor se levantou da frente de negro Ambrósio sem dizer mais nenhuma palavra, seria preciso tempo para digerir tudo que ele tinha ouvido.

Oito meses se passaram depois daquela prosa, ninguém no terreiro tinha visto novamente aquele senhor na assistência.

Era 13 de maio, gira festiva de preto velho, os trabalhos tinham se iniciado. Negro Ambrósio olhava para a porteira do terreiro como se estivesse a esperar por alguém e assim cantarolava “acorda cedo meu fio, se com velho quer caminhar, olha que a estrada é longa e velho caminha devagar, é devagar, é devagarinho quem anda com preto velho nunca ficou no caminho”. Acostumados com a curimba os filhos da corrente repetiam os versos sem perceber que naquele dia a entonação estava mais dolente. Mais um filho de Zambi venceria uma etapa, mais um seria libertado.

E foi olhando para a porteira que negro Ambrósio viu aquele senhor adentrar no terreiro, com os olhos rasos d’água e de joelhos se postar assim dizendo: Vô Ambrósio se é verdade que tenho essa tal mediunidade aqui estou para aprender a fazer caridade, nesses 8 meses minha vida perdeu a alegria, relutei muito para chegar aqui novamente e não nego que fugi por vergonha se ainda houver tempo…

Aquele senhor nem chegou a ouvir a resposta do negro Ambrósio. Do seu lado já se encontrava um negro que de forma doce e amorosa assim falou: Meu fio a quanto tempo espero por esse momento, por esse reencontro. Vamos trabaiá meu fio nas bênçãos de Zambi e na fé de Oxalá!

Diante dos filhos daquela corrente, aquele homem branco, de olhos claros, quase translúcidos, alto, dava passagem nesse momento a mais um preto velho e foi curvando aquele corpo que se ouviu a voz da entidade assim dizer: Bendito e louvado sejam o nome de nosso Pai Oxalá! Saravá negro Ambrósio! Pai Joaquim das Almas se faz presente nesse Gongá!

– Saravá Pai Joaquim!

E daquele dia em diante mais um filho começava a sua caminhada. Mais um chegava a corrente da casa. Mais uma estrela passou a brilhar nos céus de Aruanda!

texto

Acabe com os pensamentos negativos e mude sua vida

            Você tem poder - está na sua mente. Mudem os seus pensamentos e a forma de agir para deixar lá atrás aquilo que é ruim e construir um futuro mais feliz e saudável
            O nosso pensamento é o grande responsável pelas coisas boas ou ruins que nos acontecem. Os pensamentos positivos estão relacionados ao que desejamos e amamos e os negativos se ocupam daquilo que não desejamos nem amamos. A americana Louise Hay, autora do livro Ame-se e Cure sua Vida (Editora Best Seller), explica que o poder da mente é capaz de mudar os padrões de pensamento e transformar o cotidiano das pessoas para melhor, inclusive afastando doenças.
            Os pensamentos negativos atraem coisas ruins para a saúde e para a vida pessoal, profissional, amorosa e financeira. O segredo é mudar esse padrão através do poder da mente.

            Para conquistar a plenitude.
Conheça o caminho da sua iluminação interior e encha a sua vida de amor, sucesso e saúde.
          
            Crie um futuro próspero.
Quando pensamos, emitimos uma descarga elétrica que gera um campo eletromagnético capaz de atrair o que estamos vibrando. Se agirmos de forma positiva, atrairemos coisas boas. Por exemplo: se você quer ser financeiramente bem-sucedida, precisa se imaginar em situações prósperas. Você não pode pensar em dívidas ou vai atrair essa energia para a sua vida. Na verdade, toda criação ou pensamento precisa estar alinhado com seus sentimentos.
          
            Mude a maneira como se sente.
Se o que você está sentindo não é bom, faça mentalmente uma lista das coisas que você adora: valem cidades, países, pessoas, empresas, serviços, esportes, músicas, filmes, animais, flores, tipos de roupas, casas, móveis, livros, revistas, carros, comidas... Você pode pensar enquanto se arruma de manhã, caminha, dirige... Agora coloque tudo no papel, escrevendo.

            Liberte-se das amarras
Tudo é pensamento e pensamentos podem ser mudados. A mente está estruturada pelas nossas experiências, frustrações e equívocos vivenciados. Por isso, é claro que não vamos criar nada novo se não nos livrarmos dos pensamentos torturantes.

            Perdoe.
Parar de sentir raiva ou ressentimento de alguém e, sobretudo, de si mesma, é um processo benéfico. Isso fará você se livrar do passado.

            Aceite-se
A autoaprovação e a autoaceitação no aqui e agora é a chave para a mudança. Sim, quando perceber que pode escolher, começará a olhar para trás e entender que fez o melhor que podia. Presa ao passado, você só vai reviver essas limitações e repetir o padrão antigo.

            Esteja no presente
O ponto de poder está sempre no hoje. Só o presente pode trazer novas sensações e mudar o curso da sua vida.



Salve os Preto-velhos



"Um dia meus filhos, os mares foram abertos pro meu povo ser trazido com escravo e ter nos piores tratos lições de crescimento!

Pra aprender que a liberdade é o bem mais importante que pode existir!

Pra aprender que a solidariedade entre os irmãos é a maior força pra modificar a vida de cada um.

Para aprender que abaixo do céu, ninguém é melhor que ninguém, e que a vida pode mudar num piscar de olhos!

Ninguém é capaz de controlar nada, e aprendemos isso quando presos nas correntes, não podíamos nem escolher morrer!

Agora as portas da Aruanda se abrem pra nós voltarmos na terra e ensinatmos o que aprendemos a tão duras penas, pra que ninguém de vós precise viver na prisão que nós vivemos!

Que você saia da senzala que vos prende no orgulho. Que abram os grilhões da vaidade, e que sorriam para o céu como homens e mulheres verdadeiramente livres!

Que o Amor os guie, e que a Justiça seja a senhora de suas vidas!

Salve os meus irmãos! Salve as trabalhadoras que servem a Maria!

Salve a linha dos pretos e pretas velhas! Salve Zambi!"






Exu Cobra


A serpente está presente nas histórias mais antigas, nos lugares mais remotos, ela está em todo lugar. Eu sou seu mais fiel amigo, como posso ser seu pior inimigo, caso você me provocar. Não gosto de brincar, não venho em terra para satisfazer o ego de ninguém, venho pra ajudar mas não tente me enganar, pois tudo aquilo que lhe dei se não fizer por merecer eu posso lhe tirar. Quando o Maior me deu a chance de progredir, eu estava afundado na mais profunda lama que possam imaginar, e como serpente posso ate rastejar, mas rastejando eu consigo ir onde eu mais desejar. Meu veneno pode ser doce, mas também pode matar, depende do que cada um me passar. Sou Cobra, sou Serpente, sou Exu, sou a luz que lhe guia na escuridão, mas também posso ser a escuridão no meio da sua luz. Não mexa com filho meu, e não duvide de minha palavra, quando precisar de mim é só me chamar, sou Exu Cobra e trabalho nas leis de Oxalá. Exu Cobra



Preto Velho



Preto Velho

Sou preto. Negro como a noite sem estrelas.
Sou velho. Velho como as vidas de meus irmãos.
Mas se sou ainda negro, é porque trago em mim as marcas do tempo, as marcas do Cristo. Essas marcas são as estrelas de minha alma, de minha vida.
Sou negro. Mas a brancura do linho se estampa na simplicidade do meu olhar, que tenta ver apenas o lado bonito da vida.
Sou velho, sim. Mas é na experiência da vida que se adquire a verdadeira sabedoria, aquela que vem do Alto. Sou velho. Velho no falar; velho na mensagem, velho nas tentativas de acertar.
A minha força, eu a construí na vida, na dor, no sofrimento. Não no sofrimento como alguns entendem, mas naquele decorrente das lutas, das dificuldades do caminho, da força empreendida na subida.
A força da vida se estrutura nas vivências. É à medida que construímos nossa experiência que essa força se apodera de nós, nos envolve e nós então nos saturamos dela. É a força e a coragem de ser você mesmo, do não se acovardar diante das lutas, de continuar tentando.
Sou forte.
Mas quando me deixo encher de pretensões, então eu descubro que sou fraco. Quando aprendo a sair de mim mesmo e ir em direção ao próximo, aí eu sei que me fortaleço.
Sou andarilho.
Eu sou preto, sou velho, sou humano. Sou como você, sou espírito. Sou errante, aprendiz de mim mesmo.
Na estrada da vida, aprendi que até hoje, e possivelmente para sempre, serei apenas o aprendiz da vida.
Pelas estradas da vida eu corro, eu ando.
Tudo isso para aprender que, como você, eu sou um cidadão do universo, viajor do mundo. Sou um semeador da paz.
Sou preto, sou velho, sou espírito.
Para quem é espírito, ser preto ou branco, velho ou jovem, é tudo uma questão secundária...
Pai João de Aruanda (psicografia de Robson Pinheiro em seu livro Sabedoria de Preto Velho






Rito do Descalçamento



O "Rito do Descalçamento", ou o descalçar os pés ao aproximar-se de um lugar considerado santo, tem registro na sabedoria antiga e a universalidade a seu favor, por estar registrado em várias religiões ou filosofias iniciáticas.
O Altíssimo falou a Moisés através da sarça ardente (*), ordenando-lhe tirar as sandálias dos pés pois o lugar que pisava era terra santa. Alias, a maioria das nações orientais tem o hábito de realizar seus atos religiosos com os pés descalços. Em verdade, muito antes do legislador judaico introduzi-la como escritura em sinal de reverência respeitosa, os antigos patriarcas e magos transmitiam oralmente esse costume às gerações seguintes.
A orientação de Pitágoras aos seus discípulos era expressa: que os mesmos, ao realizarem as abluções e adorações no templo, o fizessem com os pés descalços para que o “pó mundano” não contaminasse o espaço sagrado, simbolicamente significando que as coisas mundanas não deviam reter a mentes dos discípulos em preocupações que os ocupassem de tal maneira que não conseguissem cultuar Deus. Os muçulmanos, ao executarem seus ritos devocionais, sempre deixam suas sandálias à porta das mesquitas. Os druidas assim procediam, assim como os antigos incas dos altos andinos deixavam sempre seus sapatos à porta ao entrarem no magnífico templo consagrado à adoração ao Sol.
Tal hábito, portanto, é um símbolo de reverência. Significa, na linguagem do simbolismo, que o lugar de que se vai aproximar desse modo humilde e reverente é consagrado a algum objetivo santo. É óbvio que ao entrarem na área reservada ao congá no templo umbandista, os seus frequentadores devem elevar os pensamentos e tentar purificar um pouco os corações de toda contaminação provinda de seus egos inferiores. Se assim é com vossos pensamentos e sentimentos, é claro que as sujeiras vibratórias que se imantam, fixadas nas solas dos sapatos, notadamente as baixas energias das encruzilhadas urbanas, não devem macular a sacralidade do local em que campos de forças mentais e magnéticos se formam e devem ser mantidos higienizados para a adequada manutenção dos trabalhos mediúnicos.

(*) Nota - A Sarça ("Seneh" em hebraico, origem do topônimo "Sinai") é uma planta espinhosa da família das fabáceas, gênero Acácia, o mesmo das árvores conhecidas genericamente no Brasil pelo vernáculo "Jurema". Esta árvore, também conhecida pelo nome de "Shittim", é citada na Bíblia várias vezes. Mais especificamente chama-se de "ardente" a Sarça quando parasitada pela planta Loranthus acaciae, cujos frutos e inflorescências avermelhados dão, de longe, a impressão de chamas sobre a Sarça. Fonte Wikipédia.

- do livro MEDIUNIDADE DE TERREIRO






Pai Velho
pvttt


Falou-se em terreiro ou casa de Umbanda, a grande maioria das pessoas já pensam em uma baita gira de Quimbanda, para pedir abertura de caminhos materiais, dinheiro, amor, ou até mesmo demandas, derrubar seus inimigos, com nossos Exús e Pombogiras, como se essas fossem suas únicas e exclusivas habilidades e missões...
Chega-se nas segundas-feiras, ou nas sextas-feiras, quase ninguém quer se abaixar com humildade e respeito, para ouvir os sábios conselhos e as palavras de um Preto Velho e de uma Preta Velha, mas, quando vira a banda para a esquerda, lotam as giras de Quimbanda, como se Exú e Pombogira fossem as chaves para as resoluções de todos os problemas da vida...
Infelizmente, a maioria das pessoas procuram os terreiros e as casas de Umbanda, com interesses puramente materiais, fúteis e mesquinhos, e correm da reforma íntima, da sabedoria e da razão do Povo Nagô... Muitas pessoas, para não dizer, a grande maioria, entre consulentes e pacientes, e até mesmo os médiuns da casas ou dos terreiros de Umbanda, vêem na religião uma forma de escudo para justificarem suas más inclinações morais e suas viciações... Tem muito médium também que corre das giras de Pretos Velhos, de Caboclos e de Erês, e só costumam trabalharem na esquerda, na gira de Exús e Pombogiras, como se estes encubrissem com suas capas todas as falhas e traquinagens do médium...
Preto Velho, na grande maioria, trabalha com os olhinhos fechados, mas quando chega a abrir os olhinhos, vê a alma de quem quer que seja... Muita gente menospreza os Pretos Velhos, pouco sabendo que os mesmos tem o poder para levantar qualquer um da cova, e defazer qualquer espécie de demanda, na humildade e na simplicidade, ensinadas por Jesus de Nazaré, nosso Pai Oxalá!
Mas, as pessoas querem as coisas para ontem, como se Exú e Pombogira fizessem milagres...
A Umbanda não é poço dos desejos, e muito menos uma quitanda de feira ou de comércio... A Umbanda é a casa da redenção, da evolução e da reforma interior!
Quem procura a Umbanda somente para satisfazer seus desejos e prazeres mundanos, está perdendo seu tempo, e se individando karmicamente... Nem um guia espiritual é escravo ou empregado! Eles são nossos mensageiros e os intermediários entre nós e o plano espiritual!










Quem Somos
Orações diversas
Orações em vídeos
Lavagem do Bonfim
Ervas dos Orixás.
Dicas de Banho de descarrego
Oferendas a Xangô
Pontos riscados
Guias e seus trabalhos
A força da pomba-gira.
Oferendas de Caboclo.
Buscando o meu Orixá.
Artigos de Umbanda.
Farofas de Seu Zé.
Benzimento.
Dicionário da Umbanda.
Jogo de Búzios.
Baralho Cigano.
Mensagens de Fé e Otimismo.
Religiões, linhas Sagradas
Assistência
Amaci.
Banhos Ciganos
Padê de exu
Oferendas
Oração de Caboclos
Quedas e Fracassos de um médium.
Preto-velho.
Pontos Mp3 Guias
Mensagem de Preto-velho
Livro de Visitas
Homenagem a Ogum
Histórias de Oxumarê.
Histórias de Ewá.
Histórias de Oxossi
Histórias de Exú
Lendas de Yansã
Lendas de Exu.
Orixá Tempo.
Lendas de Xangô.
Lendas de Ibeji
Ogum Xoroquê
Pai joaquim de angola

Baianos no terreiro.
Vestes na Umbanda
Ossaim
Maria Mulambo
Simpatias Ciganas
Amuletos & talismãs.
Dividindo com você.
Preces e orações de Preto-velhos.
Incensos.
Umbanda não faz milagre. Faz caridade
Salmos
Pontos Cantados
Pedir não é cobrar.
ATUAÇÃO dos preto-velhos.
Oferendas de Oxum.
Oferendas de yemanjá.
ORIXÁS
lendas de Nanã Buruke
Textos de Auto ajuda
Textos de Umbanda
Bezerra de Menezes
Zé Pilintra
Logun Edé
Pontos Cantados II
Pomba Giras
Exu
PRETO VELHO
Caboclos.


r11





Ao mestre com carinho

Oração a Pai João de Angola

Ogum

Oxum

Yansã

oracões

Xangô

Yemanjá

Oxossi

Oxalá

Oxumarê

Preto-velhos

Caboclos

Boaideiros na Umbanda

Baianos na Umbanda

Marinheiros

Pomba Gira

Maria Padilha

Oração de exu

Banhos de descarregos

Pontos Riscados de Exu

História de Rei Congo

Maria Redonda

Pontos Cantados diversos

Pontos Cantados Orixás

Galeria de Videos

Mensagem do Sr. Zé Pilintra

Pai José da Guiné

Exu Capa Preta

Exu 7 encruzilhadas

Exu Morcego

Mensagem de Pai joão de Angola

Histórias de Vovó Luiza

Atribuição dos Preto-velhos

Ogum Rompe Mato

Ogum Yara

A história de vovó Benedito

Oferenda de Oxum

Oferenda a Xangô

Oferenda de Ogum

Oferenda de oxossi

A Mediunidade, os orixás e os caboclos

Orações Diversas

Os filhos de Omulu

Mensagens de Natal

Porque os exus riem

Cigano Pablo

Cigana Esmeralda

Mensagem de Ogum

Altar virtual

Altar Virtual dos Orixás

Altar dos Preto-velhos

Altar de Nossa Senhora

Altar de ogum

Altar de Oxum

Altar de Exu

Videos de preto-velhos

Descubra o seu Orixá

Livro de Visitas

Livro de Visitas 2

10 erros cometidos por médiuns

A tristeza dos Orixás

Altar na umbanda

Amor palavra de ordem na gira

As falanges de trabalhos na umbanda

Assistência

Atitudes interiores

Bandeira branca de Oxalá

Cantos e palmas num terreiro

Como acontece a gira

Como ler ouvir observar e saber se aquilo é certo

Conduta Moral

Conduta no terreiro de umbanda

Conflitos

Conflitos Familiares

Cores e a umbanda

Cumprimentos e posturas

De olho Fechados

Deus não te Fez para sofrer

Deus salve a Umbanda

O dia de Finados na Umbanda

ELEMENTOS DO TERREIRO DA UMBANDA

Entendendo a inveja

ESPIRITUALIDADE E CONSCIÊNCIA

Expressões usadas na Umbanda

Exu não é fofoqueiro

Exu não é o diabo

Falta de doutrina e comprometimento

Faz caridade fio

Faz o bem sem ver a quem

Fumos e Bebidas

Fundamentação doutrinátoria

Guias e Colares

Hierarquia na Casa de Umbanda.

Humildade

Jogaram uma carga pesada pra cima de mim

Linha de Esquerda: "Exu e ´Pomba-Gira"

Mediunidade na Umbanda

Mediunidade, um passo de cada vez

Mensagem de Caboclo 7 Flexas

MIRONGA DE PRETO VELHO

NÃO ABANDONES O TEU POSTO DE SERVIÇO

Normas dos terreiros

Nossos Umbigos

O maior inimigo da Umbanda

O pequeno universo do umbandista

O Perdão Não tem Contra-indicação

O templo que vos acolhe

OBRIGAÇÕES NA UMBANDA

Obrigado, vovô

Oração do umbandista

Orixá de Cabeça

Os Caboclos na Lição de Pai João

Os médiuns são Parceiros

Os Orixás se Manifestam em Nós e Através de Nós!

Os perigos e conseqüências da mediunidade mal orientada


Página inicial textos de Umbanda

Clique aqui.














"Que ogum te abênçoe hoje e sempre....



topo
 
                              
          

 



Os textos apresentados na sua maioria foram retirados , da internet. Esse é um espaço onde colocamos diversos pensamentos e o nosso principal objetivo é a divulgação da nossa Umbanda. Quando algum texto for de autoria do Centro Pai João de angola, o responsável será indicado; da mesma forma que fazemos com outros autores que não têm vínculos com a nossa casa... Comunicado Importante: Este é um Site totalmente gratuito, sem fim comercial ou lucrativo. Algumas imagens e informações provêm de outros sites na internet. Caso você seja o detentor do Copyright de qualquer uma delas, e deseje que ela seja retirada, por favor, é só nos mandar uma mensagem citando o nome e a localização para sua remoção imediata. Não temos o objetivo de nos apropriar de informações alheias tomando-as como nossa, pelo contrário, sempre que possível, colocaremos o nome do autor abaixo do título para deixar bem claro que a intenção é de divulgar a Umbanda através de textos bem elaborados e esclarecedores. Saiba que o Centro Pai João de Angola está isento de qualquer responsabilidade.







  Site Map