O Médium Esquece

O Médium Esquece…


O Médium Esquece
Antes de falar do médium, vamos falar das pessoas num contexto geral.

Quantas pessoas chegam e vão embora, entram e saem, visitam e somem dos terreiros? Inúmeras pessoas são assim, não sabemos de onde vem nem muito menos para onde vão.
E se observarmos bem, as pessoas da assistência de hoje serão os médiuns de amanhã.

O médium que será trabalhado hoje no terreiro, um dia esteve na mesma situação dessas pessoas, ou seja, sentado na assistência com inúmeros problemas ou dificuldades (cargas negativas, pensamentos de baixa vibração, sem emprego, doente, etc..)e acredito com toda a fé do mundo esperando para ser atendido crendo naquela entidade que lhe dará um passe o intuito de melhorar, evoluir crescer e resolver seus problemas e suas dificuldades.
Mas o que acontece neste cenário?
A pessoa que estava passando por dificuldades começa a encontrar soluções e consegue se erguer aos poucos, erguendo-se ela começa a frequentar com assiduidade, claro que isso em alguns casos.

Então aquela pessoa que está na assistência sente-se deslumbrada com a Umbanda e inicia o seu processo de trabalho dentro deste terreiro.
E claro esse irmão se tornou o tão famoso Médium
Como se todos nós não fossemos, mas tudo bem não é o momento para discutir isso.

O médium entra no terreiro e inicia o seu processo de aprendizado, adequação e crescimento, mas vem algo agregado muito comum em alguns casos.

A VAIDADE.
Já é o primeiro sinal de que o médium esqueceu o motivo pelo qual um dia foi ao terreiro.

Tempo esse que ficou na assistência pedindo auxílio nas suas dores.
Mas o médium continua frequentando, trabalhando, mas agora dizendo: Eu sou médium umbandista.

Todo orgulhoso porem somente dentro do terreiro pois fora dele não assume a sua religião de forma honrosa mas tudo bem.
Espere um pouco cadê a parte da humildade do médium? Eu acho que se perdeu em algum momento da sua caminhada e não percebemos.
Ah! Encontrei, eu estava atento e percebi que essa humildade foi perdida quando seus “problemas ou suas dificuldades foram resolvidos ou pelo menos amenizadas, e hoje com o problema ou dificuldades menores ou até mesmo sem problemas “ele é outra pessoa”.
E quando alguém chega a assistência com as mesmas dificuldades ou piores que a dele, então o Super-Médium faz o que? Ele ajuda? Não.

Ele geralmente levanta seu dedo e julga, critica, e se acha no direito de imaginar, que é uma pessoa do que aquela que está na assistência, onde precisa simplesmente de ajuda, da mesma forma que um dia ele precisou quando era assistente.
Na maioria das vezes, esquecemo-nos disso, não é? O meu momento ruim passou, graças a Deus, não vou olhar o passado. Pois bem irmãos, más como diz o velho ditado. “Dor de dente não dá uma vez só”. Então por que julgar e apontar contra aqueles que estão sentados na assistência?

Se um dia aquela cadeira que está sendo ocupada por este assistente foi ocupada por você. “O Médium”.
“Amigo médium ao entrar no terreiro com os bancos vazios olhe com o coração e você ira se ver ali sentado como outrora ficou”. Hoje você está do lado de dentro, não esqueça que você veio do lado e fora também.
Texto Original:

Danilo Lopes Guerra

Alterações do texto: Leo Hipias

Zé Pilintra é um Baiano sim senhor, por trabalhar muito ligado a linha do descarrego, muitas pessoas confundem sua verdadeira identidade, mas o mistério continua, pois quem poderá dizer se um dia Zé Pilintra não foi um Exú?, não vou confundir você querido irmão, mas muitas entidades em seu campo evolutivo passaram de uma potência vibratória para outra, muitos Pretos Velhos ja foram Baianos, e assim vai, pois não podemos de forma alguma pensar que as entidades não estiveram presentes em outras encarnações.

Então acreditamos que baseado em muitos estudos que a vibração maior de nosso querido Zé Pilintra está no Povo da Bahia, então vamos falar um pouco dessas queridas entidades.

Os Baianos formam esta linha espíritos de pessoas que viveram no Estado da Bahia ou estados do nordeste, próximos à Bahia. Os Baianos trabalham na orientação material ou espiritual, desmancham trabalhos de magia negativa, nos ajudam no desenvolvimento mediúnico, nos assuntos e desavenças matrimoniais, nos assuntos profissionais, etc.

Os Baianos são muito comunicativos e muito brincalhões, usam bebidas alcoólicas e cigarros em seus trabalhos (não fumam os cigarros, fazem defumações com eles). O Baiano depois de um determinado período de comparecimento aos trabalhos, transforma-se em verdadeiro amigo e confidente e neles depositamos imensa confiança. A origem dos Baianos é normalmente a Quimbanda e são grandes conhecedores do que por lá é praticado. Usam hoje esses conhecimentos no combate direto as forças do mal, desmancham feitiços, quebram demandas, etc. Nunca andam sozinhos, o que os torna poderosos no combate ao mal.

Os Baianos são poderosos aliados da Umbanda e grandes amigos de seguidores ou praticantes do culto. Eles ajudarão qualquer pessoa em tudo o que for permitido praticar em nome de Deus, eles estarão sempre ao seu lado, desde que você não tenha má índole. Quando uma pessoa não é correta e os procura pedindo ajuda, vão ouvir deles o que não gostam de ouvir. Baiano não tem osso na língua, o que ele tiver que falar a uma pessoa, ele o fará, goste a pessoa ou não. O objetivo dessa conduta é apenas um, ajudar aos homens a andar direito na vida. Baiano de terreiro, como é chamado, “não pactua com vagabundos”. Ao menos os Baianos verdadeiros agem dessa forma, não fazem conchavos de qualquer espécie.

A Linha dos Baianos sempre foi para nós de um valor imenso, a amizade que sempre demonstraram, os puxões de orelha que sempre nos deram na hora certa, corrigindo nossos defeitos e nossa conduta e as provas que sempre nos deram, sempre aumentaram a nossa fé, enfim: aos Baianos devemos muito.

Entre eles, existe uma amizade muito grande, um é irmão do outro. A Linha dos Baianos não é propriamente só dos Baianos. Os espíritos com conhecimentos de magia que viveram nos estados do nordeste também comparecem na linha dos Baianos, embora não tenham vivido sempre na Bahia.

Como exemplo, há alguns anos foi trazido a um trabalho de Baianos, uma entidade que se apresentou como Salustiano, nitidamente um espírito de evolução mais baixa, que informou ter sido um cangaceiro, nascido na cidade de Exu, em Pernambuco. Porém, essa entidade embora não seja um baiano de origem, trabalha no meio deles e deixou isso claro cantando o seguinte ponto:

“O meu pai foi do tumbeiro e me criou lá no cangaço,
Na cidade de Exú terra que dá muito macho
Me chamo Salustiano e eu sei bem o que faço
É na linha de Baiano, vim aqui corta embaraço”

Essa é a prova que nem todo Baiano que se apresenta como tal, viveu na Bahia, podem ser pernambucanos, alagoanos, cearenses, etc. Uma coisa só lhes é peculiar: todos eles quando encarnados eram praticantes da magia negativa. Hoje usam esses conhecimentos para combater o mal, valendo-se da inversão dos pólos.
Consideramos a linha dos Baianos, não somente uma linha de trabalhadores amigos mas sim, uma das linhas mais fortes que existe na Umbanda. Não conhecemos feitiço que não desmanchassem, não constatamos situação que não resolvessem.

Que a Divina Luz esteja entre nós

Av. Dona Sofhia Rasgulaeff 177.
Jardim Alvorada/ Maringá /Paraná
Telefone: (44) 3034-5827 (44) 99956-8463
Consultas Somente com Hora Marcada.
Atendimento: de Segunda a sexta-feira
Das 09:00 as 19:00 horas.
Não damos consultas:
via whatsapp ou via E-mail.