Oração a Santa Sara Kali

ORAÇÃO A SANTA SARA KALI

santa sara kali Sara, Sara, Sara…

Foste escrava de Jose de Arimateia No mar foste abandonada (pedir para que nada nos abandone: amor, dinheiro, felicidade, saúde, etc).

Seus milagres no mar se sucederam

E como Santa te tornastes, a beira do mar chegastes e os ciganos te acolheram.

Sara, rainha, mãe dos Ciganos, ajudastes e a ti eles consagraram como sua protetora

e mãe vinda das águas. Sara, mãe dos aflitos.

A ti imploro proteção para o meu corpo Luz para meus olhos enxergarem ate no escuro (pedir para os seus olhos vidência) Luz para o meu espírito e amor para todos os meus irmãos: brancos, negros e mulatos, enfim a todos os que me cercam.

Aos pés de Maria Santíssima tu, Sara, me colocaras e a todos que me cercam, para que possamos vencer as agruras que a Terra oferece.

Sara, Sara, Sara, não sentirei dores nem tremores, espíritos perdidos não me encontrarão e assim como conseguistes o milagre do mar, a todos que me desejarem mal, tu com as águas me fará vencer (quando a pessoa não estiver bem e quiser resolver algo muito importante, deve beber 03 goles de água). Sara, Sara, Sara, não sentirei dores nem tremores.

Continuarei caminhando sem parar assim como as caravanas passam, no meu interior tudo passara e a união comigo ficara e sentirei o perfume das caravanas que passam deixando o rastro de alegria e felicidade, teus ensinamentos deixaras. Amai-nos Sara, para que eu possa ajudar a todos que me procuram, ajudados pelos poderes de nossos irmãos ciganos. Serei alegre e compreensiva com todos que me cercam. Corre no céu, corre na terra, corre no mundo e Sara, Sara, Sara, estarás sempre na minha frente, sempre atrás, ao lado direito e ao lado esquerdo e assim dizemos: Somos protegidos pelos ciganos e pela Sara que me ensinara a caminhar e a perdoar.

ORAÇÃO PARA CONSULTAR ORÁCULOS

(cartas, moedas etc.)

Salve Sara Kali! Rainha Cigana! Salve Wladimir! Salve o povo do Oriente! Eu saúdo os Elementais e toda a natureza! Salve a minha Cigana Protetora (dizer o nome)! Ofereço este incenso para que purifiques o meu altar, esta vela para que evoluas mais no mundo espiritual, este vinho é o pacto que firmo com o povo cigano.

Peço a Mamiori, Cigana da Intuição que esteja sempre comigo.

Que assim seja!

O Nosso bom e “nêgo véio” Pai Joaquim.

Ele vêm chegando de mansinho, numa prece, num sussuro, deixando de lado o preconceito na hora da dificuldade e da precisão.
São os pretos velhos que as casas que falam do evangelho invocam a Deus e chamam por proteção.

Eles viveram numa época bem distante. A chibata era sua corrigenda. Qualquer deslize tinha o tronco como recompensa. Os negros da senzala nos seus olhares tristes e cabisbaixos ali se encontravam para ver o que acontecia com quem descumpria com as ordens do “sinhô”.

Ao cair da tarde, as aves se emudeciam e davam lugar ao som seco da chibata, que sem piedade ia e vinha no couro do negro escravo. O olhar do pobre coitado só o céu conhecia, e clamava ao salvador noite e dia que numa dessas surras sua vida se esvaia. Mas a redenção só acontece no dia e na hora certa, e com isso as “nêga véia” da senzala preparavam mais uma vez um novo unguento de ervas para cicatrizar as chagas de um castigo, que saciava as vaidades e as vontades de um capataz irado.

Hoje, na Umbanda são benvindos. Em alguns centros Kardecistas, esquecidos ou chamados nas desobsessões nas horas do aperto e da doutrinação havendo a necessidade da evocação de sua corrente edificando a elevação em torno de nossos irmãos que ainda se perdem no meio das trevas e da escuridão.

“Nêgo véio” sofrido de várias missões e várias denominações, preto véio Joaquim, preto véio João Benedito, preto véio João Serrador. Uma hora de Angola, outra hora de Aruanda, outra do Congo. Que importa? O que sabemos é que suas rezas sempre necessitamos. A invocação de Jesus é seu lema. O sinal da cruz na testa, sua bandeira. A oração e a cantiga a moda antiga, sua marca de humildade e exemplo de paciência e resignação.

Quem já não precisou dobrar os joelhos diante de um pai velho, buscando consolo de sua alma cansada e dolorida na hora da dor e da tristeza impostas pelos degraus da evolução?

Lá vem eles, são os “nêgo véio”!! Que importa como eles falam? Se a fala é do “zi zi zi”, “zin fio” ou não, o que importa é o consolo, a energia boa, o carinho, a humildade e a destreza para cuidar das mazelas desta vida. Gente sofrida que não perdeu em nenhum instante que a chibata corria, a sabedoria, a devoção e a fé em nosso senhor Jesus Cristo.

E se um dia, em alguma casa espírita que você entrar para uma prece receber, algum trabalhador lhe dizer que lá não se trabalha e não se invoca a corrente de pretos velhos, mesmo que por preconceito, não se deixem manifestar em nenhum dos médiuns, tenha certeza que mesmo assim em um canto qualquer daquela casa, haverá um preto velho ou uma “nêga véia” rezando e pedindo paz e luz a VOCÊ, “ZIN FIO”!

Texto escrito pelo médium Marco Antonio Delgado.

Dentro da Umbanda temos uma legião de Entidades que nos ajudam em diversas causas, entre elas estão as legiões dos Ciganos, que são um povo escolhido por Oxalá para, com sua sabedoria e amizade, nos ajudar em algumas causas espirituais ou pessoais que tanto nos afligem nos dias de hoje.

Antes de falar dos Ciganos propriamente dito, gostaria de falar um pouco sobre Santa Sara Kali, que é a padroeira dos Ciganos e também de tantas pessoas que mesmo sem o sangue Cigano, tem no espírito a magia desse povo maravilhoso.

O dia de Santa Sara, que é vista como a “Princesa da Beleza Negra”, é comemorado no dia 24 de maio, e abaixo vamos ver a história de Santa Sara Kali.

Sobre o Povo Cigano.


Av. Dona Sofhia Rasgulaeff 177.
Jardim Alvorada/ Maringá /Paraná
Telefone: (44) 3034-5827 (44) 99956-8463
Consultas Somente com Hora Marcada.
Atendimento: de Segunda a sexta-feira
Das 09:00 as 19:00 horas.
Não damos consultas:
via whatsapp ou via E-mail.